Estrelas Cadentes


Suporte para as estrelas
October 7, 2009, 4:49 am
Filed under: Uncategorized
Suporte para as estrelas

Suporte para as estrelas - Clique para ver ampliado



Estrelas Indecifráveis – Euclides da Cunha
September 17, 2009, 12:47 am
Filed under: Uncategorized

…Ficou de pé um conceito único: o caso das estrelas variáveis, até agora incompreensível, escapa inteiramente aos métodos ordinários da mecânica celeste…

Quase se admite, por esta simples circunstância, que esta última se não possa erigir em modelo impecável, capaz de se ajustar a toda a arquitetura do universo… E não nos espanta que após estudarem sob incontáveis aspectos, os astros extraordinários, e de assistirem ao despencar escandaloso de tantas explicações, gizadas a esclarecê-los com os nossos conhecimentos  atuais, cheguem os cientistas  de agora à melancólica conclusão da falência inesperada da astronomia, ante aquelas estrelas flagrantemente rebeldes a todas as analogias oriundas do nosso sistema, e às fórmulas matemáticas mais seguras. Seguimos, de bom grado, neste lance, a arrebatada ousadia de um dos mais belos espíritos da ciência contemporânea.

Como quer que seja, as nossas vidas cosmogônicas dilatam-se; e já não nos maravilha que a alma magnífica de Kepler passasse, com o mesmo entusiasmo fervoroso, do rigorismo impecável das suas linhas geométricas para os êxtases arrebatados dos crentes, consorciando, como nenhuma outra, o espírito científico que nos desvenda o destino das coisas, ao espírito religioso, aviventado pela eterna e ansiosa curiosidade de desvendarmos o nosso próprio destino. E pensamos – maravilhados diante do crescer e do transfigurar-se da própria realidade, que, mesmo na esfera aparentemente seca do mais estreito racionalismo, se nos faz mister um ideal ou uma crença, ou os brilhos norteadores de uma ilusão alevantada, embora eles não se expliquem, nem se demonstrem com os recursos da nossa consciência atual, como se não demonstram nem se explicam, malgrado os recursos da mais perfeita das ciências, os astros volúveis, que pelejam por momentos e morrem indecifráveis, como resplandeceu e se apagou a estrela radiosa, que norteou os Magos no deserto, e nenhum sábio ainda fixou na altura.




estrelas cadentes – areia e brilho
August 25, 2009, 9:55 pm
Filed under: Uncategorized

Seguem abaixo alguns testes realizados com areia e brilho para o trabalho Estrelas Cadentes.

Pretendo utilizar apenas uma das cores.

areia_gliter



o transporte – desenvolvimento prático
August 23, 2009, 11:44 pm
Filed under: Uncategorized

Seguem fotos do desenvolvimento (as imagens na íntegra estão no flickr ao lado)

Foram realizados testes da ligação do celular ao motor e da velocidade regulada pelo inversor.

o transporte - desenvolvimento prático

material de trabalho para "o transporte": inversor, multímetro, motor, celulares, chaves, alicates, fios, energia elétrica...

casa em contrução onde será colocado o piano

casa em contrução onde será colocado o piano

claudio bueno trabalhando no projeto "o transporte"

claudio bueno trabalhando no projeto "o transporte"



Desenvolvimento técnico / produção
August 18, 2009, 2:31 pm
Filed under: Uncategorized

Nas últimas semanas foram realizados diversos avanços técnicos, tanto nas definições de utilização dos motores, quanto nos  componentes que se fazem necessários: contatores, temporizadores, placa eletrônica com programação, relays, redutores, etc.

Além dos itens acima, também deixei preparado o espaço para a montagem do protótipo do trabalho, que se dará numa casa em construção.

Farei algumas fotos amanhã e colocarei aqui no blog, para explicar cada item em detalhes.



Gesto Inacabado: processo de criação artística
August 5, 2009, 7:39 pm
Filed under: Uncategorized

A partir do entendimento da minha residência como um processo, resgato aqui algumas páginas do livro “Gesto Inacabado: processo de criação artística” de Cecília Almeida Salles, para incluir o estudo dos processos em meu próprio processo em curso.

De maneira resumida, meu processo tem início com um projeto prático a ser desenvolvido durante minha residência. Ao iniciar o desenvolvimento, submeti esta proposta aos orientadores escolhidos e então comecei a tomar contato com novas referências, pesquisas, artistas, livros (como Políticas do Espaço de José Miguel G. Cortés), entre outros registros. Desta forma, comecei a estabelecer novas relações e elaborações, que além de amadurecer e ter maior clareza sobre o campo em que meu trabalho estava atuando, me levou à sínteses conceituais e estéticas mais precisas. O resultado deste primeiro mês de pesquisa e amadurecimento, tanto em forma de projeto quanto como artista foi a proposta prática “O transporte”, relatada em post anterior.

Segue abaixo o capítulo “Estética do Movimento Criador” de Cecília Almeida Salles.

Publiquei os textos em formato de imagens, por encontrá-las no Google e evitar a redigitação de todas as páginas.

Se preferir, acesse esta leitura em formato de livro digital, aqui: http://migre.me/4JQU

Clique na imagem para vê-la ampliada:

Picture 3

Picture 2

Picture 4

Picture 5



O transporte
August 4, 2009, 8:20 pm
Filed under: Uncategorized

Após um mês de residência, com orientações e novas referências, segue abaixo o formato final do projeto prático:  “O transporte”.

O transporte

O transporte

Trata-se da suspensão e movimentação de um piano a partir de ligações de celular feitas por qualquer pessoa, de qualquer lugar. Quem liga para o piano, além de tombá-lo no ar, mais para frente, para trás, para um lado ou para o outro, produzirá um som, próprio do piano, que será amplificado no ambiente.

Haverão 2 números disponíveis que receberão as ligações/interações, cada um deles acionará um tipo de movimento/tombamento no piano. Quem estiver fora do museu e ligar para o trabalho, conseguirá movimentá-lo e também ouvir o ruído gerado.

O  trabalho fala da mobilidade contemporânea representada principalmente pelas tecnologias móveis  e suas capacidades de transmissão de informação e energia, em contraste à rigidez do piano, seja por suas forma clássica de tocar partituras e composições, seja por seu peso físico.

A música aqui é ruído, extraído de dentro do próprio piano e da movimentação dos motores.

A mobilidade, é controlada, como se o celular fosse paradoxalmente controle e mobilidade.

A virtualidade da transmissão penetra a rigidez física do piano e o suspende no espaço, tornando-o “intocável”.

A relação do piano com os lugares, é de pertencimento, enquanto à do celular é de “Um Lugar Após o Outro” (Título do livro da pesquisadora Miwon Kwon).

Se o piano configura e tem a rigidez de um lugar, é como se o lugar físico fosse deslocado, transportado.

BAIXE AQUI O PDF DO PROJETO COMPLETO




Follow

Get every new post delivered to your Inbox.